A Tecnilab desenvolveu uma válvula de atuação remota (RAV – Remotely Actuated Valve) que permite proceder ao corte ou à reposição do fornecimento de água à distância. A RAV permite otimizar a atividade operacional das entidades gestoras dos serviços de distribuição de água reduzindo, por exemplo, os custos com meios humanos já que as ações de corte e reposição do serviço podem passar a ser efetuadas por operadores não especializados. Por outro lado possibilita a economia de recursos materiais tendo em conta que deixa de ser necessário efetuar o fecho das válvulas de ramal nos casos em que não há acesso à instalação. Em redes antigas, o estado de degradação destas válvulas poderia obrigar a intervenções de manutenção com custo elevado.

Com o software de interface com o Sistema de Gestão de Clientes deixa de ser necessária a emissão de ordens de corte ou reposição do serviço em papel. Elimina ainda os incumprimentos de longa duração. O acesso remoto permite realizar o corte num curto espaço de tempo, logo, prevê-se que os clientes que anteriormente dificultavam o acesso à instalação regularizem de imediato os pagamentos em mora. Finalmente acelera a reposição do serviço já que deixa de ser necessário aceder fisicamente às instalações.

A RAV tem como principal objetivo o corte ou reposição do fornecimento de água por acionamento remoto em instalações onde a tradicional válvula de corte não está acessível ou em locais onde pode estar em causa a integridade física dos operadores no decurso das ações de corte. O incumprimento no pagamento da água obriga a que se efetue um corte do abastecimento ao consumidor, tarefa de “elevada complexidade e onerosa para as entidades gestoras do abastecimento de água”. Dificuldades de acesso ao local, ausência do consumidor, custos de operação, problemas de segurança dos operadores e, em muitos casos, não efetivação da tarefa de corte são algumas situações para as quais as entidades gestoras dificilmente encontram solução e que levaram a empresa a desenvolver o produto.

A RAV começou a ser produzida na unidade fabril Valcon, na Covilhã, já foram produzidas 300 unidades destinadas a ensaios reais com resultados “extremamente positivos”, a comercialização da RAV deverá iniciar-se no segundo semestre de 2017.

“Tratando-se de um bem transacionável com tecnologia portuguesa e com elevador valor acrescentado nacional, a RAV é um produto que além de solucionar tarefas complexas das empresas em Portugal, destina-se ao mercado externo com elevado potencial para as exportações”.

A RAV permite otimizar a atividade operacional das entidades gestoras dos serviços de distribuição de água reduzindo os custos com meios humanos já que as ações de corte e reposição do serviço podem passar a ser efetuadas por operadores não especializados, por exemplo. Por outro lado possibilita a economia de recursos materiais tendo em conta que deixa de ser necessário efetuar o fecho das válvulas de ramal nos casos em que não há acesso à instalação. Em redes antigas, o estado de degradação destas válvulas poderia obrigar a intervenções de manutenção com custo elevado.

Com o software de interface com o Sistema de Gestão de Clientes deixa de ser necessária a emissão de ordens de corte ou reposição do serviço em papel. Elimina ainda os incumprimentos de longa duração. O acesso remoto permite realizar o corte num curto espaço de tempo, logo, prevê-se que os clientes que anteriormente dificultavam o acesso à instalação regularizem de imediato os pagamentos em mora. Finalmente acelera a reposição do serviço já que deixa de ser necessário aceder fisicamente às instalações.